BENEDITINAS DA DIVINA PROVIDÊNCIA EM RETIRO ESPIRITUAL

 

As Irmãs Beneditinas da Divina Providência presentes nas duas diocese de Bissau e Bafatá, organizaram, de 16 a 22 de agosto,  um retiro de 8 dias na comunidade de Catió. O tema do retiro era: “As nossas Constituições à luz da Exortação de Papa Francisco, Evangelii Gaudium (a alegria do Evangelho)”. Pe. Celso Corbioli que orientou o retiro, salientou que “foi uma boa surpresa ver quantas vezes a palavra ‘alegria’ está contida nas Constituições. Esta exortação de Papa Francisco foi então uma grande ajuda para descobrir uma dimensão nova na nossa vocação religiosa”. Pe. Celso recorda que “o Papa diz que onde há os religiosos e as religiosas há alegria”. O retiro foi uma oportunidade para tomar consciência que as religiosas e os religiosos alegres transmitem paz e serenidade. É esta também uma maneira de evangelizar, de anunciar o Evangelho ao mundo.

IGREJA DA GUINÉ-BISSAU REALIZA “CURSO DE INTEGRAÇÃO MISSIONARIA”



De 04 a 29 de agosto, trinta missionários, na sua maioria  católicos e um grupo de evangélicos, participaram do “Curso de Integração Missionaria” organizado pelas Dioceses de Bissau e Bafatá. Sob a direção de Dom José Lampra Cá, Bispo Auxiliar de Bissau, e orientação do Seminarista Abeuca A.A. Mendes, o curso foi realizado no Seminário Menor São Kisito em Bissau, onde os missionários eram provenientes de Angola, Bangladesh, Brasil, Itália, México, Polônia, Quênia, Senegal,…! 



Na parte da manha, os participantes tinham aulas da língua crioulo e à tarde, temas como: Historia da Igreja na Africa, Igreja da Guiné-Bissau, Trabalho Social da Caritas, Saúde, Educação, Politica, cultura, Estado e Religiões, Dialogo Ecumênico e Interreligioso, Religião Tradicional Africana….! O curso, como está no escrito no Certificado que os participantes receberam ontem, dia 29, visa “facilitar a adequada inserção na realidade da Guiné-Bissau”. No ato de encerramento do curso, com entrega dos certificados, Dom Lampra e Dom Zilli desejaram a todos boa missão na Guiné-Bissau, procurando descobrir as belezas do nosso bom povo guineense. Que deem bom testemunho da vida nova em Cristo Jesus. 



IGREJA DA GUINÉ-BISSAU CELEBRA “DIA DA MEDICINA TRADICIONAL”


Nestes dias 29 e 30 de agosto (sexta e sábado), na curia diocesana de Bissau, a Igreja da Guiné-Bissau está a celebrar o “dia africano da medicina tradicional” que ocorre no dia 31 de agosto. Recorde-se que a OUA (Organização da Unidade Africana), em junho de 2001, declarou o período de 2001 a 2010 como a “década da Medicina Tradicional Africana”. 
Ângela Barbosa da Pastoral da Criança e Sr. João Lopes com uma arvore na cabeça
Na sessão de abertura, na manha desta sexta-feira, a Sra. Aycha Sanca, representante da Direção Geral das Florestas, salientou que, de fato, na Guiné-Bissau, “as florestas estão a sofrer um derrube descontrolado”. Manifestou a sua alegria pelo motivo de seu organismo “estar a promover a plantação de arvores na esperança que sobrevivam”. Clemente Mendes, representando a Caritas Guiné-Bissau, sublinhou que a referida estrutura “tem assumido a celebração anual do dia da medicina tradicional através da reflexão e da exposição de medicamentos que os vários grupos ligados à Caritas preparam”. Exortou para que se estruture a “colaboração entre o Ministério da Saúde Publica e os  curandeiros para um maior progresso da medicina tradicional”. Dom Pedro Zilli, representando os bispos da  Guiné-Bissau, nas suas palavras disse: “Sinto-me alegre por que a nossa Igreja, na Guiné Bissau, está a unir seus esforços aos esforços de tantas pessoas e instituições no sentido de conhecer, valorizar, promover, fazer bom uso das plantas medicinais e de fazer da Medicina Natural Tradicional uma alternativa válida para tantas pessoas no mundo de hoje”. Aproveitou da ocasião para falar do apelo do Papa João Paulo II no Burkina Faso em maio de 1980, pedindo ao mundo que lutasse contra a seca e a desertificação no Sahel.  Recordou aos presentes que o apelo do Papa originou, em 1984, a Fundação João Paulo II para o Sahel que, neste ano 2014, está a celebrar 30 anos. Dando seguimento às suas palavras, Dom Pedro perguntava: “diante das queimanças e derrube das arvores, o que será da Guiné-Bissau num futuro não muito distante?” “Onde serão encontradas plantas para a fabricação de medicamentos tradicionais?” “Com este ritmo de devastação das nossas florestas, será que não precisaremos de um outro João Paulo II que lance um apelo contra a seca e a desertificação no nosso País?” 

Clemento, Dom Pedro e Aycha
O Sr. João Lopes, em nome do Grupo "Natureza é Vida" da Caritas Guiné-Bissau, fez uma homenagem ao Pe. Alberto Zamberletti (PIME) que, ressaltou, “muito contribuiu com o grupo, ajudando-o numa profunda compreensão de tal Medicina”. Salientou que Pe. Alberto, com o seu empenho, ajudou na salvação de vidas na Guiné-Bissau”. Depois ofereceu ao Padre um barrete vermelho de “homem grande balanta”, simbolo de uma significa distinção, carinho, reconhecimento e estima. Pe. Alberto agradeceu o grupo pelo gesto, manifestando o seu contentamento pela celebração do dia Medicina Tradicional que recorda o caminho feito durante anos na Guiné. Referindo-se ao tema para o “dia africano da medicina tradicional” deste ano, “colaboração entre os praticantes da medicina tradicional e da medicina convencional”, Pe. Alberto sublinhou que, estudos feitos, dão contas que as duas medicinas podem colaborar ate mesmo na luta contra HIV-Sida”. Agradeceu o  grupo que tem vindo trabalhar “há anos, em colaboração com os curandeiros tradicionais”. 

Pe. Alberto e Sr. João Lopes
Dom Pedro Zilli agradeceu a Monica Canavesi, da Associação Leigos PIME (ALP) de Nhabijão, pelo seu empenho na promoção da Medicina Tradicional na Guiné-Bissau. Agradeceu a todos os que estão empenhados neste importante recurso em favor do bem do nosso povo. Na conclusão da Sessão de abertura, Monica realça que “uma das coisas mais bonitas que encontrou na Guiné-Bissau foi o grupo da Medicina Tradicional”. 

Sr. João Lopes e Mônica

GABU GANHA NOVO PÁROCO

Seminarista Arnaud,  Diácono Tomas, Dom Pedro, Pe. Daniel, acólitos
Na celebração eucarística deste domingo, dia 24 de agosto, a Paróquia Santa Isabel de Gabu ganhou um novo pároco na pessoa do Reverendíssimo Pe. Daniel Thiara Boubane, originário da Guiné Conacry, da Congregação dos Espiritanos. No Decreto de nomeação, datado de 24 de agosto, Dom Pedro Zilli escreveu: Que o Senhor abençoe o Pe. Daniel que, pela primeira vez na sua vida sacerdotal e missionária, é nomeado pároco. Que pelo seu ministério sacerdotal e missionário, o Primeiro Anúncio, a Catequese, o Itinerário Catecumenal, o Diálogo Inter-Religioso e Intercultural possam ser postos em evidência. Obrigado aos Espiritanos da África do Oeste, por tê-lo disponibilizado para Gabu. Com minha oração e minha benção, desejo ao Pe. Daniel um frutuoso apostolado”. 

Dom Pedro lê o Decreto de Nomeação
Na homilia, Dom Pedro disse: “Hoje, Pe. Daniel entra nesta comunidade paroquial para a missão de pároco. Fico feliz por ele ter aceite o meu pedido para assumir tao grande missão. Ele será o segundo pároco de Gabu, sucedendo ao Pe. Gerard Meyer. Obrigado Pe. Daniel. Que tu possas ajudar a comunidade paroquial a crescer na fé em Jesus, imitando Pedro no Evangelho de hoje: ‘Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo’(Mt.16,16)”. Dom Pedro agradeceu Tomas Sanha, o primeiro espiritano guineense, ordenado  Diácono no dia 03 deste mês de agosto, o seminarista Arnaud Lisseke, originário do Congo Brasaville, que fez o seu estágio em Gabu no ano pastoral 2013-2014. Agradeceu os espiritanos da Africa do Oeste na pessoa do Superior da Fanno, P. Jean-Claude Angoula. Pe. Daniel, nas suas palavras, sublinhou que ser pároco “é uma responsabilidade que aceitei porque sei que a com a ajuda de Deus, do nosso bispo e de todos os paroquianos, o cargo pesado se tornará leve”. 

Durante a celebração da Santa Missa
A comunidade paroquial e as irmãs manifestaram toda a sua alegria por poder contar com Pe. Daniel como seu pároco. Depois da missa, antes do almoço de confraternização, Dom Pedro e Pe. Daniel foram cumprimentar o Imame Central de Gabu Tcherno Seco Seidi. O Imame agradeceu a visita e disse que, “se Pe. Daniel recebeu uma missão de tao grande responsabilidade, é porque está em condições de levá-la à frente”. 

Na visita ao Imame Central Tcherno Seco Seidi